fbpx
Menu

Voltamos com mais um post da série que traz as principais curiosidades sobre os ritos funerários ao redor do mundo. Hoje, vamos falar de um povo que, na realidade, era formado por diferentes povos que possuíam alguns interesses em comum. Porém, mesmo assim, eram divididos hierarquicamente… Isso mesmo, estamos falando sobre os Celtas. Então, quer descobrir mais sobre eles e seus rituais? Continue lendo!

 

Afinal, quem eram os Celtas?

Antes de falarmos sobre a cultura Celta, é necessário saber quem eles eram, certo? Sendo assim, podemos dizer que os Celtas não eram somente um único povo, mas sim diferentes povos que possuíam características semelhantes, principalmente, a cultura e o idioma. Eles se espalharam em diversas regiões da Europa. Porém, tiveram presença maciça principalmente na Península Ibérica e Ilhas Britânicas até a Ásia Menor entre os anos de 1200 a.C e 500 d.C. Além disso, é interessante destacar que o nome “Celtas” não era utilizado pelos próprios celtas, pois foi definido mais tarde por romanos e gregos que registraram a existência desses povos.

 

Como os Celtas eram divididos

Em geral, o governo das tribos era feito por um rei e a sociedade Celta era estratificada, tendo como grupos principais: os Druidas, os Nobres e os Guerreiros, os Homens Livres e os Escravos. Dessa forma, os druidas eram o grupo de maior relevância, sendo responsáveis por possuírem grande conhecimento filosófico, podiam elaborar e aplicar leis (até mesmo contra um rei). Além disso, eles também executavam o papel de sacerdotes religiosos.

 

Os Rituais Celtas

A religião e a magia eram de extrema importância para os Celtas. Então, para eles não existia uma separação entre o natural e o sobrenatural, pois enxergavam os mundos físico e espiritual como um único mundo. Assim, a religiosidade celta possuía grande ligação com a natureza, e por isso praticavam seus rituais em ambientes abertos. Dessa forma, em seus rituais, os Celtas realizavam sacrifícios humanos com o objetivo de homenagear seus deuses, agradecer a colheita do ano e pedir sucesso na próxima. Existiam diversas maneiras para um ritual ser realizado, porém, a mais conhecida era o “Espantalho de Fogo”.

Em resumo, funcionava da seguinte forma: depois de serem colocadas em figuras feitas de madeira e palha (com cerca de 4m de altura) algumas pessoas eram incendiadas. Geralmente, essa era também uma forma de punição, já que as vítimas eram criminosos. Além disso, quem conduzia esse tipo de evento eram os druidas. Porém, o momento de atear fogo cabia ao próprio rei. Por fim, em volta, toda a comunidade cantava para homenagear os deuses.

 

E aí, você sabia da história desses povos? Realmente, a cultura deles era bem diferente da nossa, não é mesmo? Por mais que cause estranheza, devemos sempre lembrar que fazemos parte de outras nações e de outros períodos de tempo. De qualquer forma, sempre é interessante aprender um pouco mais sobre diversas culturas, concorda? Então, continue acompanhando essa nossa série aqui no blog. No último post falamos sobre os Funerais na Roma Antiga. Até a próxima!